Imagem capa - Projeto Sobre Viver - Ep. 01 por LUCY LIMA

Projeto Sobre Viver - Ep. 01

Projeto Sobre Viver


Episódio 1


Adriana Zadrozny


Look: Confraria Store Make e Hair: Atellier Beauté Crystal


Quem tem um “porquê” enfrenta qualquer “como”


Adri tinha uma vida “complicada e perfeitinha”. Linda, dona de olhos azuis da cor do mar, casada, bem-sucedida profissionalmente, mãe de um adolescente de 13 anos e de um bebê arco-íris de apenas 12 meses.

O complicado? Conciliar a agenda do trabalho com afazeres domésticos, administrar as diferentes rotinas de um adolescente e de um bebê, sair com as amigas e organizar a vida dos filhos.

A perfeição? Tudo harmoniosamente funcional. Uma vida tranquila, sem grandes preocupações.


As bençãos de Deus estilhaçam vidraças


Embora o autor Paulo Coelho tenha igualmente uma legião de fãs e uma legião de críticos ferrenhos, amo uma frase que ele escreveu: “As bençãos de Deus estilhaçam vidraças”. Entendo essa frase como uma definição perfeita para as grandes reviravoltas que a vida dá, que nos assustam, nos deixam sem chão em um primeiro momento, para depois, só depois, começarem a fazer sentido e passarem a ser vistas como bençãos.

Mudanças necessárias e não maldições equivocadas, cujo destinatário foi um equívoco do grande Remetente.

E as bençãos estilhaçaram as vidraças da alma da Adri…


Do mamá do bebê à mama com câncer


Aquela bolota parecia o famoso “leite empedrado”… mas só parecia… porque, na verdade, era um tumor de 9 cm.

Da mãe feliz e realizada, que tinha enfrentado 2 abortos antes de ter nos braços o bebê arco-íris, Adri tinha se transformado na mãe com uma sentença de morte decretada…


Quem tem um “porquê” enfrenta qualquer “como”


Refeita do susto, do primeiro impacto, Adri resolveu enfrentar o câncer com o peito aberto e com toda coragem do mundo! Seu maior medo, deixar os filhos sem mãe, foi igualmente seu maior motivador na luta contra o câncer! Ela tinha o porquê e se preparou para enfrentar o como.

O resultado das primeiras sessões de quimioterapia foram sua primeira vitória! Inversamente, à medida que o tumor diminuía, suas esperanças aumentavam. E ela estava pronta para as próximas etapas (ou seriam vitórias?).


Se a vida te der limões, devolva-os!


A vida deu à Adri alguns limões e ela devolveu-os. Preferiu frutos mais doces. Escolheu escrever em vez de fazer limonadas.

Primeiro, fez um relato aos amigos e familiares, compartilhando desde o diagnóstico até as primeiras conquistas do tratamento. Depois, resolveu escrever aos filhos para que, na pior das hipóteses, eles pudesse saber da sua história pela narrativa amorosa de seu coração.

Uma mãe que escreveu ao futuro dos filhos.

O casamento desfeito foi também um motivador aos relatos que fazia.

Escrever é dar vazão à alma, seja com palavras que expressam lágrimas de tristeza ou que falam de alegrias e sorrisos iluminados.


E quando tudo parecia ser o fim, foi, na verdade um começo!


O capítulo da história da Adri não era do mais animadores: em tratamento oncológico, recém-separada, com dois filhos e com milhares de dúvidas e medo. Parecia o fim dos tempos de serenidade e alegria…

Mas, o que parecia ser o fim, foi na verdade, um começo.

O começo da cura, o começo da vida de uma autora, o começo de um novo relacionamento e certamente, o nascimento de uma “nova” Adri!

Ajuste das lentes!

Depois de 5 anos do diagnóstico veio a cura e o livro “Sobre viver” foi publicado. Um bálsamo para os corações de outras mulheres!

Adriana atua como nutricionista, especificamente com alimentação preventiva ao câncer, é professora universitária e ensina aos alunos que a saúde é algo complexo e desafiador, que perpassa pelo corpo refletindo-se na alma.

Casou-se novamente com um amor de adolescência e segue, plena, cuidando e educando seus dois filhotes.

Embora tenha sido um aprendizado difícil, ela aprendeu, como se referiu em nossa conversa, a “ajustar as lentes” do óculos com que vê a vida!

Quando ajusta-se “as lentes” de ver o mundo, percebe-se as delicadezas da vida e as bençãos de Deus.

Adri, em todo momento deu graças! Deu graças por ser ela que enfrentava as agulhas e as dores em vez dos filhos! Deu graças por ter tido fé! Deu graças por aprender a ser paciente! Deu graças pelas escolhas sábias que aprendeu a fazer! Deu graças por se curar! Deu graças por conseguir partilhar suas experiências e inspirar outras pessoas!

E eu dou graças pela sua vida e pela partilha, que ensina e inspira Adri querida!

Você é luz!

Sigo contigo no amor,

Dani Lourenço